Logótipo Estúdio P
quinta_logo_white

PASSATEMPO

Viajar pelos sentidos com
Vale D. Maria Douro Superior

Convidar memórias à mesa é saborear histórias. O terroir do Douro está na génese de ingredientes de qualidade. A sua confecção é, também ela, feita de histórias. Em comum com o vinho Vale D. Maria Douro Superior tinto, a preservação de uma origem.

Entre 26 de Novembro e 17 de Dezembro de 2020, participe no passatempo ‘Viajar pelos sentidos com o Vale D. Maria Douro Superior’ com uma receita original que integre pelo menos um ingrediente autóctone da região do Douro.

O júri do passatempo, composto pela Quinta Vale D. Maria, Estúdio P/PÚBLICO e pelo chef Renato Cunha, vai seleccionar e premiar a melhor receita. Além do vencedor, serão destacadas duas receitas finalistas às quais será também atribuído um prémio.

Consulte os Critérios de Participação.

prémios

Vencedor

Voucher Menu Seis Momentos, harmonizado com vinhos Quinta Vale D. Maria (válido para duas pessoas) no restaurante Ferrugem

(Portela, Vila Nova  Famalicão)

DOIS FINALISTAS

Pack vinhos Quinta Vale D. Maria:
1 garrafa de Vale D. Maria Douro Superior tinto 2018, 1 garrafa de Vale D. Maria Vinhas do Sabor tinto 2018 e 1 garrafa de Vale D. Maria Vinhas do Sabor branco 2019

passatempo TERMINADO

Resultados serão divulgados dia

21 de dezembro

AS melhores receitas

“Os meus avós paternos assim como o meu Pai e os meus tios eram naturais do Douro, mais precisamente de Mesão Frio e nos dias de festas as púcaras de barro preto eram utilizadas para alguns cozinhados no forno a lenha, como por exemplo o arroz de forno, o anho etc. As panelas de barro preto, encontram-se na freguesia de Bisalhães Vila Real, feitas pelos oleiros de lá que infelizmente tendem a desaparecer. Esta receita era feita pela minha tia, cozinheira de profissão, e as lembranças que tenho de criança era o cheiro delicioso que emanava do forno, quando ela em dias de festa, fazia esta receita. Como era a sobrinha mais ligada à cozinha, aprendi muito com ela tanto esta, como outras receitas.”

receita vencedora

GAlo na púcara

Angelina Correia

  • 1 galo de 1,500kg de criação caseira (não havendo pode-se optar pelo frango do campo que não é o mesmo resultado)
  • 300gr de presunto com alguma gordura de cura caseira
  • 2 tomates médios coração de boi
  • 2 colheres de sopa de polpa de tomate
  • 2 colheres de sobremesa de mostarda de excelente qualidade
  • 8 cebolinhas bem pequeninas (chalotas)
  • 4 dentes de alho
  • 1 colher de sopa de manteiga também de boa qualidade
  • 2 molhinhos de hortelã
  • 3 hastes tenrinhas de alecrim
  • 1 folha de louro
  • 1 copo de molho de carne (feito em casa)
  • 1/2 copo de vinho branco meio seco da região do Douro
  • farinha de trigo
  • Azeite extra virgem da região do Douro
  • Sal q.b. e pimenta preta (moída na altura) q.b.
  • 2 cálices de vinho do Porto tawny (no tempo da minha avó, usava-se o vinho fino caseiro que era tão docinho e delicioso!)
  • 6 batatas de tamanho grande
  • Agrião biológico
  • Cebola roxa
  • Um bom pão de centeio da região do Alto Douro
  • 1. Parte-se o galo em pedaços médios, tempera-se com sal (não muito porque vai ter o sal do presunto e do caldo de carne) e deixa-se repousar 1h.
  •  
  • 2. Passado o tempo, põe-se a farinha de trigo peneirada num recipiente largo e, de seguida, coloca-se o azeite numa frigideira bem larga e leva-se ao fogão a uma temperatura média/alta.
  •  
  • 3. Passa-se cada bocado de galo na farinha só de um lado, sacudindo bem o excesso da farinha e leva-se à frigideira para selar ou dourar sem deixar cozinhar o interior da carne, colocando cada bocado no fundo da púcara.
  •  
  • 4. De seguida, colocam-se as cebolinhas já descascadas, os dentes de alho inteiros e com casca, o tomate coração de boi (partido aos cubinhos e limpo de pele e sementes) o presunto partido aos cubos grandes, a polpa de tomate, o caldo de carne, o vinho branco, a mostarda, manteiga, as hastes de alecrim, hortelã (só mesmo os dois rebentos, porque se for em demasia o sabor sobrepõe-se aos restantes ingredientes) a folha do louro.
  •  
  • 5. Tempera-se com a pimenta preta moída na altura e, por fim, deita-se o vinho do Porto e leva-se a púcara destapada (para evaporar o álcool dos vinhos) ao forno pré-aquecido a 160º durante 1h e 30m (passados dez minutos da púcara estar no forno, coloca-se a tampa na púcara).
  •  
  • 6. Findo o tempo no forno, retira-se a púcara (com cuidado para não se queimarem!), retiram-se os dentes de alho, a folha do louro e o alecrim.
  •  
  • 7. Serve-se bem quente, acompanhado com as batatas fritas em azeite extra virgem às rodelas grandes e bem estaladiças, e uma boa salada de agrião, com a cebola partida às rodelas finas, não esquecendo o pão fatiado e um excelente vinho da região do Douro.

receitas finalistas

Bochechas de novilho com puré de castanha e molho de uvas

Sérgio Luís de Sousa Conceição

  • 750ml vinho do porto
    750ml vinho do Douro tinto
    3 colher de sopa de coentros moídos
    4 colheres de mel
    3 colheres de paprika
    2 malaguetas pequenas
    4 tomates pelados
    4 colheres de azeite
    1 ramo de alecrim
    1/2 cebola partida pequena
    3 colheres rasas de sal
    1kg bochechas de novilho
  • Para o puré de castanha
    600 g de castanhas
    100 gramas de manteiga
    1 pacote de natas
    2 colheres de sal
    Uma pitada de noz moscada
  • Para o molho
    15 uvas vermelhas
  • Colocar azeite numa panela. Cortar a cebola aos bocadinhos e colocar na panela. Deixar ao lume alguns minutos fazendo um refogado. Depois, juntar todos os outros ingredientes.
    Deixar estufar as bochechas durante 2h:30 min até a carne ficar muito suculenta e se começar a desfazer.

    Para o puré de castanhas:
    Assar as castanhas com o sal. Depois tirar as cascas das castanhas.
    Pôr as castanhas num robot de cozinha junto com a manteiga e as natas e passar, até ficar sedoso. No final, juntar uma pitada de noz moscada.

    Quando as bochechas estiverem prontas, tirar metade do molho do estufado e coar para uma panela larga.
  • Cortar as uvas a meio e tirar as pevides. Juntar as uvas para o molho absorver o sabor doce e único.
    Deixar reduzir até ficar um molho espesso e brilhante com um sabor único.

Estufado de rabo de boi em vinho tinto com puré de nabo e maça acompanhado com grelos salteados

Lara Lopes

  • 1 Rabo de boi (aprox. 800gr) em pedaços
    1 Tomate grande
    1 cebola grande
    1 cebola pequena
    400 gr de grelos, as folhas lavadas e inteiras
    5 dentes de alho
    1 molho de salsa
    3 ramos de alecrim
    2 malaguetas
    4 paus de cravinho
    1 nabo grande
    2 maças médias
    1 colher de sopa de vinagre balsâmico
    Cerca de 400 ml de vinho tinto
    Sal e Azeite q.b
  • Alourar, numa panela, o rabo de boi com um fio de azeite até a carne apresentar um tom dourado. Juntar a cebola grande e 3 dentes de alho picados. Quando a cebola estiver translúcida, juntar o tomate picado. Adicionar as malaguetas, os ramos de alecrim, o cravinho, o ramo de salsa, uma pitada de sal e por fim o vinho. Cozinhar em lume brando, mexendo ocasionalmente até a carne começar a soltar-se do osso (cerca de 4 horas).

  • Para o puré:
  • Alourar em azeite a cebola pequena picada, quando a mesma estivar bem dourada, juntar o nabo cortado em cubos pequenos com 1 pitada de sal, mexendo regularmente até o nabo amolecer. Adicionar as maças descascadas e cortadas em pedaços cozendo mais 15 minutos. Triturar num robot de cozinha ou liquidificadora até formar um puré cremoso.
    Cerca de 60 minutos antes de a carne ficar no ponto, retirar da panela 4 conchas de sopa do molho e coar com um passador para um tacho pequeno. A cebola e o tomate que ficarem no passador voltam a juntar-se à carne.
    Juntar ao tacho que contém o molho o vinagre balsâmico e reduzir em lume brando até ficar encorpado e espesso. Reservar num recipiente para molhos.
    Aquecer num wok 1 fio generoso de azeite, juntar os 2 dentes de alho picados e adicionar os grelos com uma pitada de sal. Saltear de 5 a 10 minutos conforme o gosto dando preferência a uma tonalidade verde vivo mantendo-os crocantes.
    A carne estará pronta quando o molho estiver reduzido e engrossado com alguma da carne que entretanto se foi soltando dos ossos mais pequenos.
    Retirar com um garfo a salsa e os paus de alecrim, servir 2 pedaços de rabo de boi com uma colher de sopa de puré e os grelos salteados. Decorar com algumas gotas da redução do molho e um ramo de alecrim fresco.

participe no passatempo

1. preencha o formulário

2. Siga o Facebook Quinta Vale D. Maria e Estúdio P

Em caso de dúvida ou questão, contacte-nos através do e-mail estudiop@publico.pt